Um dos principais alicerces para qualquer tipo de relação é a confiança. Sem este ingrediente mais que especial, a parceria, seja lá qual for, está fadada ao fim. E talvez na política esse item seja ainda mais significativo, já que é muitas vezes com a palavra que se conquistam novos aliados ou antigas alianças se desfazem.

E a quebra de confiança colocou fim no poderoso teodolito formado por PT, PSD e PP na Bahia. Os progressistas, liderados no estado pelo vice-governador João Leão, anunciaram nesta semana a sua saída da base que já comanda a Bahia por quase 16 anos. Essa talvez seja a mais dura das consequências que o grupo de Rui Costa e Jaques Wagner enfrentou depois daquela reunião feita às pressas lá em São Paulo, há algumas semanas, na qual selou a saída do senador petista na disputa ao Palácio de Ondina.

Com o rompimento oficializado, não demorou a Leão e ACM Neto convocarem uma coletiva de imprensa e anunciar que o “Bonitão” será o candidato da chapa de Neto ao Senado, batendo de frente com o antigo aliado Otto Alencar. O Terceiro Turno desta semana vai debater os rumos do PP e o impacto para as eleições da Bahia após o rompimento com o PT. 

Por: Wender Lima

Da redação do blog Tribuna de Palmira

0 comentáriosFechar comentários

Deixe um comentário