A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal deflagram a Operação Caravana, na manhã desta quarta-feira (19). Os agentes cumprem mandados de busca e apreensão na cidade de Tanque Novo, no interior da Bahia, para combater os crimes de associação criminosa, contrabando e descaminho.

Essa operação é fruto de uma investigação iniciada em novembro de 2019, a partir de informações da Delegacia da Polícia Federal em Londrina, no Paraná, que apontavam a atuação de um grupo liderado por dois comerciantes do município baiano. Eles estariam operando um esquema de transporte e distribuição de cigarros, bebidas e perfumes provenientes do Paraguai, sem o pagamento dos devidos impostos.

Em meio às investigações, foram registradas três ocorrências policiais ligadas ao grupo, o que confirmou a reiterada atuação dele nos crimes apontados. Por exemplo, em dezembro de 2019, um indivíduo ligado ao grupo foi preso em flagrante, em Santo Inácio, no Paraná, por transporte de cigarros contrabandeados; em setembro do ano passado, outra carga de cigarros pertencente ao grupo foi apreendida em Urandi, no interior da Bahia; e, em janeiro deste ano, houve a apreensão de uma carga de perfumes provenientes do Paraguai, que era transportada pelos dois líderes do grupo, em Montes Claros, cidade de Minas Gerais.

Além disso, os investigadores identificaram a utilização de uma empresa de fachada para dar aparência de legalidade aos valores movimentados pelo grupo criminoso. De acordo com a PF, a empresa sediada em Tanque Novo movimentou cerca de R$ 13 milhões de 2018 a 2020. A maior parte desses recursos tinham como origem ou destino empresas sediadas na região da fronteira com o Paraguai.

Por: Wender Lima

Da redação do blog Tribuna de Palmira

0 comentáriosFechar comentários

Deixe um comentário